Missão cumprida na 28ª etapa do Idéia Fixa

Encerrada neste final de semana a 28ª etapa do Projeto Idéia Fixa, e como não poderia deixar de ser Tânia Mara Carvalho e Eduardo Abreu só têm a comemorar pelos resultados alcançados nas ações propostas.

A criação das 3 mini-bibliotecas no estado do Tocantins foram cumpridas à risca e em cada uma delas um momento especial e de muita emoção.

A primeira a receber os livros complementares, já que nas outras duas etapas realizadas este ano boa parte dos livros já havia sido entregue, foi o Movimento Casa da Sopa, localizado na cidade de Aliança do Tocantins.

No dia 27 de setembro, aconteceu o descarregamento das doações, distribuídas entre alimentos para a sopa, tapetes, roupas, calçados, brinquedos, livros diversos e os de histórias infantis doados pela Fundação Educar DPASCHOAL, além dos brindes diversos, brinquedos e material escolar para presentear os vencedores do concurso literário realizado pela instituição.

Assim que as doações foram guardadas, com a colaboração das crianças que se transformaram em voluntários, teve início a oficina de artesanato, onde eles criaram enfeites de natal feitos com bolas de isopor e retalhos, além de guirlandas que eles puderam confeccionar e levar para casa. “Para o Movimento Sopa Fraterna, a parceria do Projeto Idéia Fixa, que teve início em 2003 quando o movimento estava apenas ”engatinhando”, foi muito importante. Conseguimos realizar muitas coisas, as crianças evoluíram bastante em vários sentidos, acabaram tomando gosto pela leitura e nós nos tornamos multiplicadores, fornecendo livros para a APAE e para uma das escolas de Aliança também. Agora, nossa biblioteca já é uma referência para todos que necessitarem de livros para pesquisa e literatura em geral. Tudo isto graças ao Idéia Fixa pela Educação!”, frizou Sonja Cáthia Brito, idealizadora e fundadora do Movimento Sopa Fraterna.

Aventura solidária

Ao todo, foram dois dias de eventos na Igreja Anglicana, atual sede do Movimento, e assim que o cronograma foi cumprido, Tânia e Edu seguiram rumo ao Jalapão, cujo objetivo era a implantação de mais duas mini-bibliotecas. Até que se chegasse à primeira escola a receber a doação dos livros, pouco mais de 500 quilômetros foram percorridos, dos quais 350 em estradas de terra, muita areia, erosões, muito calor e poeira densa.

Solidariedade

Quem realiza o bem, recebe o bem! E foi preciso mesmo que os voluntários do Idéia Fixa contassem com a boa vontade e a solidariedade dos moradores de Mateiros, uma espécie de ”capital” do Jalapão, uma cidadezinha típica de um cenário de filme de faroeste americano.

Quando eles chegaram lá, foram informados que a cidade não possuía um leito sequer para acomodá-los, já que a capacidade hoteleira é mínima e que as pouquíssimas pousadas existentes estavam tomadas por pelo menos 500 americanos que estão rodando um documentário da região. Foi então que Dona Gildete se prontificou a acomodá-los em sua simples casa.

E foi ela também quem os levou até a Escola Albeny Ferraz, localizada na Zona Rural. “A professora Ana Claudia mal acreditava no que estava vendo. Ajudou a descarregar a estante de madeira, as caixas de livro, começou a folhear os volumes de uma enciclopédia Barsa doada à escola, ficou extasiada ao ver os livros doados pela Fundação Educar DPASCHOAL, pelos brinquedos destinados a brinquedoteca e pelo material escolar, composto por lápis de cor, giz de cera, papel sulfite reciclado, tesouras, colas, entre outros. Disse-me que naquela manhã havia dado uma entrevista a um jornalista da Rádio Senado e comentado com ele sobre a falta de livros de literatura para as crianças de sua sala multiseriada e extremamente precária. Foi uma emoção e a reação dela acabou por contagiar à todos. E qual foi nossa surpresa quando o tal jornalista decidiu retornar a escola. Nem ele acreditava no que via. Por fim, ele me entrevistou também e chegamos todos à seguinte conclusão: o universo literalmente conspira para um desejo se realizar!”, lembra Tânia Mara.

A outra biblioteca foi entregue para a escola Juscelino Kubischek, pegando a jovem professora de surpresa também. “Ela comentou que sua sala de aula é multiseriada também e que eles recebem crianças de 6 a 14 anos, se virando como podem para ensinar as matérias de acordo com a idade. Muitos desses alunos caminham até seis quilômetros sob um sol de 40 graus, e as aulas só podem acontecer na parte da manhã, pois só assim eles conseguem permanecer na sala de aula que não possui ventiladores, nem iluminação elétrica”, disse Tânia.

“Espero que esta seja apenas mais uma etapa do Idéia Fixa que se finda. Temos a certeza de estarmos no rumo certo, de que seguir em frente e acreditar num amanhã diferente é a melhor ação. Sei que não estamos mais sozinhos! Trazemos conosco cada lição, cada momento vivido, cada emoção. E deixamos para trás um pouco de cultura, conhecimento, alegria e experiência. Cumprir mais uma etapa nos faz perceber que valeu a pena, que as pessoas visitadas já não são mais as mesmas de antes da nossa visita e que o amanhã tanto deles, quanto o nosso e o do nosso país, vai ser um pouquinho melhor!”, finalizou Tânia Mara, que incansavelmente já inicia a preparação para mais uma etapa a ser realizada ainda este ano.

Patrocinadores: Artfix, Conclusão Assessoria & Comunicação, Clipping Service,Fundação Educar DPASCHOAL, Goodyear, Renault do Brasil, RNN Sports, Veyance Technologies (Goodyear Engineered Products).

Apoiadores: Asa Alumínio, Aymoré Financiamentos, 3DMEDIA Visual (www.3dmediavisual.com.br), Galdino WS (www.galdino.ws), Johnson Diversey, Performance Academia,Tendas Kagê e Site Superlicença (www.superlicenca.com.br).

Graciela Mayrink
Assessoria de imprensa
(21) 8173-9667

FOTOS
http://www.flickr.com/photos/ideiafixa/

Conclusao Assessoria & Comunicação

Verifique também

Ação do Projeto Ideia Fixa pela Cultura realizada em Conchal foi um sucesso!

Com o objetivo de levar um pouco da cultura poços-caldense através de seus livros, a …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *